A frente do nosso tempo

A frente do nosso tempo

Companhia Matonense de Saneamento – CMS tem o privilégio de fazer parte de um seleto grupo de estações de tratamento de esgoto doméstico que contemplam uma concepção que une processos biológicos, aeróbios e anaeróbios. Um sistema que desponta como uma das mais altas tecnologias mundiais no setor. Todo esse desenvolvimento que a ETE traz para Matão na eficiência dos seus processos proporciona o tratamento de 100% do volume de esgoto gerado no município, podendo tratar até mesmo 450 litros de esgoto por segundo. Esta eficácia significa que a empresa está pronta para atender uma população de até 110 mil habitantes.

Olha como somos contemplados com tamanha excelência nos processos e tecnologias inseridas pela CMS na cidade, Matão é mesmo um município referencial quando o assunto é este. E a aplicação das tecnologias não de ponta que mais se destacam no mercado é trazida constantemente pela empresa até nós.

Outra preocupação constante é com o meio ambiente. Todo o esgoto doméstico que chega até a ETE e é tratado, é devolvido ao Rio São Lourenço como água limpa e cristalina, com parâmetros de qualidade superiores aos legalmente exigidos, garantindo a preservação da fauna e da flora de toda a nossa região.

Alta qualidade e excelência em cada etapa

Vimos nas edições anteriores tudo o que acontece até aqui, agora é a vez de falarmos sobre os reatores aeróbios. Durante esta etapa do sistema de tratamento microbiológico do esgoto doméstico que chega até a CMS, as bactérias aeróbias decompõem a matéria orgânica procedente da fase anterior. Depois dos sólidos serem separados em decantadores, o índice de remoção de carga orgânica alcança um percentual acima de 98%. E este elevado grau de excelência está acima dos exigidos pelos órgãos competentes de meio ambiente do Estado.

 O tratamento com microorganismos é uma das alternativas mais eficazes e econômicas para a degradação da matéria orgânica. No tratamento aeróbio os microorganismos degradam as substâncias orgânicas, que são assimiladas como uma forma de alimento e fonte de energia, mediante processos oxidativos.

Nesta etapa, o efluente precisa ser submetido a temperaturas específicas, estar com o pH e oxigênio dissolvido (OD) controlado, além de obedecer a relação da massa com os nutrientes de Demanda Biológica de Oxigênio (DBO) que variam com a biota formada em cada estação. As bactérias responsáveis por este processo de eliminação da matéria orgânica são, em sua maioria, heterótrofas aeróbias e facultativas e promovem a remoção da matéria orgânica com mais eficiência.

As vantagens deste tipo de tratamento são inúmeras, pois além de alcançarem maior taxa de remoção da matéria orgânica, possuem riscos reduzidos de emissões de odor e maior capacidade de absorver substâncias mais difíceis de serem degradadas.

A CMS, sempre preocupada em cuidar da população matonense e da qualidade de vida de cada um de nós buscou soluções para não causar incômodos, nem afetar a saúde dos moradores dos bairros adjacentes à sede da companhia, por isso, implantou um sistema que previne a emissão de gases com mau cheiro.

Diferente de outras estações de tratamento de esgoto, a ETE consegue controlar o odor característico de esgoto. Isso ocorre, pois o Reator Anaeróbio de Fluxo Ascendente, o RAFA, propicia a captação de gás metano, que é eliminado durante a decomposição da matéria orgânica presente no esgoto (poluente) por anaerobiose (bactérias anaeróbias). O gás metano submetido a uma das linhas de captação e enviado diretamente ao incinerador.

A queima transforma esse gás tóxico em CO2 – que não tem cheiro, e é menos agressivo ao meio ambiente, tornando o processo num importante aliado na preservação da camada de ozônio.

Investindo no futuro de cada um de nós

Um dos diferencias da ETE também é o seu sistema totalmente automatizado, onde além da busca constante por implantação de alta tecnologia em todas as etapas do processo, técnicos especializados monitoram 24 horas por dia o funcionamento de todos os equipamentos que compõem o processo de purificação da matéria orgânica presente no esgoto. Além disso, a CMS conta com o apoio de laboratórios externos especializados e devidamente credenciados que, juntamente com as análises internas, comprovam o atendimento aos requisitos legais, tais como CETESB e Ministério da Agricultura.

Os equipamentos que cada etapa do tratamento de esgoto doméstico passa na CMS precisa também de profissionais altamente qualificados e treinados para constante manutenção preventivas, o que é feito constantemente, para garantir que a excelência do processo final seja sempre garantida.

Para garantir a alta qualidade de todos os processos, a empresa investe na capacitação de seus profissionais, o que é um dos diversos diferenciais que fazem da CMS uma das melhores empresas da América Latina.

Mesmo os equipamentos exigindo um gasto alto de energia, a empresa está sempre em busca de alternativas sustentáveis para diminuir esta problemática. Por isso, a redução no desperdício de energia elétrica também está entre as prioridades. Muitos dos equipamentos que compõem a ETE têm baixo consumo de energia, com máxima eficiência energética.

É a CMS sempre em busca de alternativas sustentáveis para cuidar do meio ambiente, garantindo a preservação da fauna e da flora não só do Rio São Lourenço, mas de toda a região. O que antes era poluição, com a ETE agora é garantia de bem- estar, saúde e água cristalina.

 

Fonte : Informativo da CMS / Encartado no JCMatão
Data da Informação : 30/05/2018