CMS separa e disponibiliza resíduos para coleta seletiva

Coleta seletiva é a coleta diferenciada de resíduos que foram previamente separados segundo a sua constituição ou composição. Ou seja, resíduos com características similares são selecionados pelo gerador e disponibilizados para a coleta separadamente.
A CMS (Companhia Matonense de Saneamento) separa os resíduos sólidos, líquidos e pastosos gerados e disponibiliza-os para a coleta seletiva desde 2009, quando obteve o primeiro certificado ISO 9001 pela qualidade dos serviços prestados. Em 2012, a empresa obteve o primeiro certificado ISO 14001 pelo compromisso com as questões ambientais. Nesse mesmo ano, a coleta seletiva, que já era feita há 3 anos, tornou-se obrigatória para atender à ISO 14001. Em 2021, a CMS deverá ser recertificada.
Confira a seguir como é feita a coleta seletiva na CMS:
- Papel/papelão, plástico/embalagem plástica, vidros/vidrarias: são destinados a empresas/cooperativas de recicláveis;
- Embalagens de vidro e plástico que continham reagentes/produtos químicos utilizados para análises laboratoriais e restos de análises e/ou reações químicas: são retirados na CMS por uma empresa de tratamento de resíduos químicos;
- Óleos, lubrificantes e graxas provenientes das manutenções corretivas e preventivas dos equipamentos e motores:  são retirados na CMS por uma empresa especializada na recuperação e no reúso de derivados de petróleo;
- Sucata de aço carbono e aço inox: é vendida para uma empresa de sucata que faz a comercialização desse tipo de resíduo;
- Lixo doméstico: é retirado na CMS pela empresa responsável pela coleta desse resíduo no município;
- Outros resíduos: são removidos por empresas especializadas, já que a CMS possui a certificação ISO 14001 e só pode dispor em locais licenciados.
Todas as empresas especializadas nos tratamentos de cada tipo de resíduo são licenciadas pelos órgãos municipal, estadual e federal e homologadas pelo SGI (Sistema de Gestão Integrado) da CMS.

Por que separar os resíduos sólidos?

Cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem. Na medida em que vários tipos de resíduos sólidos são misturados, sua reciclagem se torna mais cara ou mesmo inviável, pela dificuldade de separá-los de acordo com sua constituição ou composição. O processo industrial de reciclagem de uma lata de alumínio, por exemplo, é diferente da reciclagem de uma caixa de papelão.

Como funciona a coleta seletiva?

As formas mais comuns de coleta seletiva hoje existentes no Brasil são a coleta porta-a-porta e a coleta por Pontos de Entrega Voluntária (PEV’s). A coleta porta-a-porta pode ser realizada tanto pelo prestador do serviço público de limpeza e manejo dos resíduos sólidos (público ou privado) quanto por associações ou cooperativas de catadores de materiais recicláveis. É o tipo de coleta em que um caminhão ou outro veículo passa em frente às residências e comércios recolhendo os resíduos que foram separados pela população. Já os PEV’s consistem em locais situados estrategicamente próximos de um conjunto de residências ou instituições para entrega dos resíduos segregados e posterior coleta pelo poder público.

Fonte : jcmatao.com.br
Data da Informação : 15/01/2020