CMS pratica atos seguros para evitar situações de emergência

A Companhia Matonense de Saneamento (CMS) mantém procedimentos que regulam, analisam e monitoram situações de emergência presentes na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) e fora dela.
As situações de emergência são pontuadas através de documentos ligados ao sistema de gestão ambiental da empresa, onde são monitorados: vazamento de óleos e graxas do processo de manutenção, vazamento de resíduos dos silos, processos de transporte de resíduos e recebimento de chorume, tombamento de cargas, vazamento de gás GLP, entre outros.
Há a verificação dos extintores, testes hidrostáticos, check list das contenções, verificação dos botijões, treinamentos da equipe, exercícios simulados, entre outras ações que permitem mensurar, mitigar e treinar as situações de risco que poderiam ocorrer na planta.
Os atos seguros são praticados na manutenção, no setor de desidratação, no setor preliminar, entre outros locais.
É essencial à CMS a prática e o monitoramento dos atos seguros, porém, a implantação do sistema de gestão ambiental  ISO14001, em 2012, aperfeiçoou o processo. A cada ano, a CMS investe para evitar que situações de emergência ocorram na planta. 
Anualmente, a CMS planeja o treinamento do PAE (Plano de Atendimento a Emergências), que ocorre geralmente em consonância com as manutenções anuais dos extintores. No dia, há uma série de atividades que envolvem os funcionários da empresa.
No início deste ano, a CMS adquiriu um sistema de alarmes de última geração, que trabalha com rede mesh, permitindo avisar de maneira rápida situações de emergência ou que podem causar danos maiores, como incêndios, por exemplo.
Além disso, a CMS investe em outros treinamentos para complementar o aprendizado, executados por empresas especializadas em segurança do trabalho. Os check lists e as inspeções diárias monitoram se as ações estão sendo empregadas na prática.

Fonte : jcmatao.com.br
Data da Informação : 05/02/2021