Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Tratamento preserva o Rio São Lourenço

Graças à eficiência da Companhia Matonense de Saneamento (CMS), o rio São Lourenço recebe em seu leito somente água cristalina, quase que sem matérias poluentes. Mas, infelizmente, essa não é a realidade da maioria dos municípios brasileiros. É o que aponta o “Atlas Esgotos: Despoluição de Bacias Hidrográficas”, um levantamento coordenado pela Agência Nacional de Águas (ANA) em conjunto com a Secretaria Nacional de Saneamento Ambiental do Ministério das Cidades, com a colaboração de instituições federais, estaduais e municipais. Apresentado no final de setembro deste ano, o estudo aponta que mais de 110 mil km de trechos de rio estão com a qualidade comprometida devido ao excesso de carga orgânica, sendo que para 83.450 km não é permitida a captação para abastecimento público devido à poluição hídrica. Com relação aos outros 27.040 km de rios, é permito captar, mas o tratamento tem que ser avançado.

O lançamento de esgotos nos corpos hídricos sem o tratamento adequado compromete a qualidade da água, principalmente próximo às áreas urbanas, e pode até inviabilizar o atendimento aos usos dos recursos hídricos, sobretudo o abastecimento humano, além de impactar a saúde da população. Desta forma, concluímos que Matão é uma cidade privilegiada por contar com uma Estação de Tratamento de Esgoto que atinge níveis de despoluição muito superiores à média exigida pela Legislação. (Fonte: Agência Nacional de Águas).


Fonte : Informativo da CMS / Encartado no JCMatão
Data da Notícia : 10/11/2017

Últimas notícias